10 Dicas práticas para você tirar seu mochilão do papel

Confesso que demorei bastante para sair viajando pelo mundo. Somente aos 26 anos fiz minha primeira viagem internacional, e só a partir dos 30 decidi virar mochileira mesmo. De verdade, tudo e todos te atrapalham na hora de realizar seu sonho. Mas neste post eu conto digas valiosas e práticas para você que quer cair no mundo o quanto antes.

  1. Reprograme seu mindset

Não é novidade pra ninguém que não fomos criados para explorar a vida da maneira que queremos. Isso porque existe uma rota pré estabelecida na qual tendemos a cair nela. Estudar, trabalhar, ser promovido e acumular bens para a família, que deveria vir depois de tudo isso. Mas quem disse que tem que ser assim?

Não precisamos nos sentir culpados por querer “largar tudo” e viajar o mundo. Pessoas podem ser felizes encontrando outros caminhos e não devem se sentir culpadas por isso. Tá, tudo bem se você quiser ser diferente, não ter coisas materiais e sim experiências diferentes. Assim, jamais deixe sua decisão pesar por pressão da sociedade.

2. Comece a praticar o desapego emocional

Muita gente me diz que não consegue começar uma viagem, seja longa ou curta, por conta do apego com a família, relacionamento amoroso ou amigos. Acho o motivo digno, mas esse apego pode atrapalhar ou enterrar seus planos. Então, comece a imaginar como seria se conectar com eles pelas redes sociais. Sentir-se livre emocionalmente antes de começar a planejar a viagem é o primeiro passo e será um grande alívio. Depois você vai ver que o tempo passa tão rápido pra quem fica e sua experiência será eterna.

3. Planeje de verdade

Só falar em planejamento e já vêm pelo menos uns 10 países e coisas que você quer fazer. Acertei? Mas aqui estou falando de coisas que você vai precisar deixar arrumadas no Brasil (ou em seu país de origem). Preciso alugar meu apartamento? Vender alguns móveis ou carro? Em quanto tempo terei condições reais de largar o emprego? Afinal, grana é preciso né, gente! Preciso deixar procuração? Na minha primeira viagem vendi até a máquina de café… Que fase!

4. Defina seu estilo de viajante

Esta é uma fase bem importante porque ela vai determinar seu budget (orçamento). Eu sou mochileira de coração. O que significa isso? Quer dizer que eu sempre procuro a maneira mais barata de realizar uma tarefa. Se tiver que chegar a um destino, por exemplo, que fica a 5km, com certeza irei andando. Sempre divido quartos com outras pessoas. Nunca escolho hotéis. Você pode optar por um meio termo ou por exclusividade total. Sem problemas, mas esse estilo será ser determinante pra reservar seu budget.

5. Sua rota está de acordo com seu budget?

Quando eu começo a planejar uma trip quero sempre sair andando pelos cinco continentes. Mas, sendo realista gente, é muito caro. É claro que se você se planejou pra isso, não mude. O ideal para quem quer começar a viajar é escolher uma região e explorar bem por ali. Só na Europa, por exemplo, são quase 50 países. Então, dá pra conhecer bem.

6. Compre a primeira passagem e faça contagem regressiva

Quem nunca parcelou em 20 vezes algo sem ter a menor noção de como ia pagar? Pelo menos com a passagem, eu acredito que pode ser assim. Esse efeito psicológico de que está acontecendo, de que o projeto começou a sair do papel, é bem simbólico. A passagem comprada é como se fosse o primeiro passo efetivo para a realização da trip. Ah, e sempre é melhor comprar a passagem de longa distância com bastante antecedência. Esse ano comprei a ida pra Itália, com dois meses de antecedência, por R$ 1.000! Pois é, acredite!  Tem umas opções de passagens de volta ao mundo também, mas conto em outro post depois como funciona.

7. Vamos falar de grana

Esse item com certeza é o que mais gera dúvidas. Quanto eu vou gastar pra 1 mês, 6 meses ou um ano? Eu não tenho como dizer gente, porque isso vai depender muito do seu estilo de viagem. Mas tenho alguns caminhos pra fazer esse cálculo chegar bem próximo à realidade. Primeiro, você tem que pensar nos custos fixos, que são: vistos, vôos, acomodação e alimentação. Se você fizer uma pesquisa de valores desses custos, já saberá quanto vai gastar por baixo. Claro que esse é o básico e sempre pode aumentar. Não se iluda.

Vou fazer uma conta básica da minha viagem pela Ásia pra vocês usarem como referência. Serão 5 meses só por aqui. E eu costumo converter tudo que juntei pra dólares porque aí fica mais fácil a conta, já que nosso dinheiro sempre flutua.

Vamos ao exemplo:

Vôos:
São Paulo/ Itália R$ 1.000
Destino indefinido/São Paulo – em média R$ 3.500, porque estou na Ásia bem longe.

*Aqui vale a dica: você não precisa voltar do país que termina sua viagem. Pode ir pra um outro país e fazer uma conexão de dois dias por lá antes de voltar. Às vezes, sai bem mais barato e você inclui mais um país na sua viagem.

Hospedagem – média de U$ 20 dólares por dia

Alimentação – média de U$ 15 dólares por dia

Passeios já pré-estabelecidos:

*Caminhada ao Everest U$ 1.000

*Acampamento na Muralha da China U$ 300

8. Vistos e documentos

Esse tópico aqui parece meio básico demais, mas não é. Preocupe-se com seus vistos e validade do passaporte. Tem pessoas que gastam a maior grana por falta de atenção. Nosso passaporte é bem aceito por aí, mas tem que checar direitinho quais países exigem os vistos de antemão e quais você tira no aeroporto. Eu sempre pesquiso varias fontes, porque na internet tem muita coisa desatualizada. O ideal é ver nas embaixadas dos países, mas principalmente dê uma lida em blogs de brasileiros que foram para o lugar recentemente. Aqui nesse link do Nômades Digitais tem uma lista de países que não precisamos de visto. Confira: http://nomadesdigitais.com/brasileiros-nao-precisam-de-visto-para-entrar-em-153-paises-veja-quais-sao-eles/  

9. Vamos baixar apps pra salvar nossa vida?!

Tem muitos apps legais pra ajudar a planejar a viagem. O que eu mais uso é o Skyscanner. Ele pesquisa passagens em diversas companhias aéreas. Se você não tiver data definida de ida e volta dá até pra consultar os preços do mês inteiro, até achar os dias mais baratos e, inclusive de uma localidade para qualquer lugar do mundo. Para quem curte sair sem destino, como eu, é lindo! Outro desse tipo é o Edreams.

Para hostels, eu uso o Hostelworld, mas tem também o Hostelbookers. Gosto deles porque você consegue ver os lugares sob o ponto de vista de outros mochileiros. Tem o couchsurfing, para estadias gratuitas, isso mesmo. Você pode ficar na casa de nativos sem pagar nada. Escrevo em outro post melhor como funciona. Tem o workaway que é um site de troca de experiências. É muito legal. Eu fiz na espanha. Morei na numa fazenda ajudando em afazeres em troca de aprendizado de espanhol. Sem dinheiro envolvido pra ambas as partes. Tem o Maps me, que é um mapa off-line, que salva vidas haha. Muito bom mesmo. Você baixa o lugar que vai visitar e, quando estiver nele, mesmo sem internet você consegue ter o mapa com dicas de restaurantes, hotéis, passeios e tudo o que precisar.

10. Bora fazer a mochila?

Acho que a parte mais legal é essa: fazer as malas. Mas, vamos lá, não tem que levar o Brasil todo. Tem tanta coisa barata por aí que você vai se surpreender. É muito caro roupa no Brasil. Ultimamente, tenho arrumado o mínimo possível na mala e vou trocando de “guarda-roupa”durante a viagem. Tem dado super certo. Acabo voltando sempre com coisas legais e típicas dos lugares.

O que não pode faltar na mochila:

1 calça jeans
1 sapatilha
1 tênis
1 chinelo
1 casaquinho leve
3 três blusas
(calcinhas, cuecas você pode levar apenas algumas peças, pois todos os hostels têm lugar para secar)

Claro, depende da época do ano e local que vai viajar. Já viajei com 25 quilos. Verdade! Mas hoje considero 10 quilos uma mochila enxuta e eficaz. Com esse peso você pode levar no próprio avião sem ter que despachar e pagar mais por isso. A maioria das companhias internacionais cobra para despachar. E, além da grana você economiza tempo para despachar ou pegar a mala na esteira.
No Brasil começou valer a mesma regra há poucos dias!

Gostou do post? Então aproveite e indique aos amigos! Siga meu instagram @anapelomundo_66 e bora viajar e trocar experiências.

Quer uma mentoria para começar seu sonho? Ou ajuda a montar seu roteiro?
Comente ou deixe sua mensagem.

 

Anúncios

One Comment

Add yours →

  1. Olá, gostaria de fazer mentoria com você. Como você consegue trabalhar 6 meses e viajar seis meses? Isso é fantástico. Sou sua fã. Beijosssss

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: