O dia que me senti uma terrorista em Israel

Pela primeira vez entrei em um País com alta tensão política e possibilidade de deflagrar uma guerra a qualquer momento e não poderia ter me sentido mais segura, mas foi também em Israel que passei pela sensação estranha de ser investigada como uma terrorista.

Logo na entrada em Israel, por terra, vindo da Jordania bateu aquela apreensão. Sempre ouvi dizer que eles não tem muita simpatia pelo país vizinho. O meu primeiro contato com a polícia israelense foi uma surpresa e tanto, o agente me entrevistou em espanhol, não durou mais de 3 minutos, e ainda me desejou boa sorte. Ainda naquele dia pensei: nossa! Não é nada como dizem, mas mal sabia o que me esperava mais à frente.

Andar pelas ruas de Israel é seguro como um país europeu, exceto pela curiosa cena vivida todo dia. Por aqui os jovens (meninos e meninas) andam armados de fusil pela rua. Nas primeiras horas foi um choque. E sim, você leu correto por aqui até as mulheres prestam o serviço militar por dois anos e os homens por três.

Como é sabido Israel trava uma guerra com a Palestina por algumas áreas territoriais. Entender essa guerra sempre foi difícil e complexa para mim. Depois de passar 15 dias por aqui não posso dizer que entendo completamente, mas deixei de ser ignorante por completo. Ouvi muitas histórias por parte dos dois lados mulcumanos e judeus.

Por aqui não há sinais de guerra como eu imaginava. Não vi prédios destruídos ou policiamento ostensivo nas ruas, por exemplo. As áreas onde acontecem os conflitos, quando existentes, são afastados da capital Jerusalem e bem longe de Tel Aviv.

Fui ao aeroporto bem feliz de ter tido minha própria impressão sobre Israel e sobre a população daqui. Não sabia o quão exigente era a segurança do país, já que minha entrada tinha sido rápida e sem muitas complicações. Foi então que a antes de fazer o check in na companhia aérea me avisaram que teria que passar pela segurança. Fui confiante, afinal não devo nada.

A primeira policial fez diversas perguntas sobre o roteiro da viagem e sobre todo o percurso até aqui. Mas por algum motivo ela não ficou satisfeita e me encaminhou, educadamente, para outros dois agentes: uma jovem e um rapaz. Foi aí que o pesadelo começou. A policial me interrogava nos mínimos detalhes e sempre voltava para alguma parte da viagem, onde eu tinha que justificar cada escolha do destino, hotel, cidades. Quanto mais eu respondia as perguntas dela mais ela me questionava. Fui ficando impaciente, como era de se esperar. Então ela saiu e voltou novamente como se tivesse começado o interrogatório de novo, mas desta vez me pedia passagens impressas, coisa que não tenho. Mostrei os tickets que ela pedia e ela seguia pedindo mais coisas. Pediu até para investigar as fotos do meu celular. Percebi que por alguma razão ela me perguntava muito mais sobre a Indonésia e o porquê de ter vindo a Israel. Foi quase depois de uma hora que eu percebi que realmente estavam desconfiando de algo.

Pela segunda vez eles se afastaram e pediram que eu aguardasse um pouco mais. Depois de alguns minutos chegou a supervisora da segurança que novamente me fez as mesmas perguntas, só que desta vez mais impaciente. Dei as mesmas respostas e ela se foi. Me liberaram para o check in, nesta hora já faltava pouco para começar a embarcar, mas mesmo assim ainda passei novamente pela inspeção policial desta vez com máquinas e aparelhos. àra se ter uma ideia desta vez fizeram até tirar o band aid de um machucado no pé.  Ufa depois de horas sendo interogada cheguei ao embarque 15 minutos depois de já ter começado com uma sensação estranha de ter sido tratada como uma terrorista.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: